Reunião com Marchezan vai balizar decisão do PP sobre ficar ou não no governo

Dois encontros internos ocorrem no fim de semana

Marchezan Júnior e vice Gustavo Paim. Foto: Joel Vargas/PMPA

O Partido Progressista de Porto Alegre espera pelo resultado de uma reunião entre o representante da sigla e vice-prefeito, Gustavo Paim (PP), com o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB), prevista para ocorrer hoje à noite, para definir se fica ou deixa o governo municipal.

O presidente municipal do PP, vereador João Carlos Nedel (PP), explica que Paim, que esteve em missão na Europa, desembarcou em Porto Alegre no fim da tarde. Nedel deve falar com o vice-prefeito após o encontro com Marchezan e, com isso, reunir informações que vai levar aos correligionários em dois momentos, no fim de semana: uma reunião da Executiva, no sábado, e um encontro do Diretório Municipal, no domingo.

O desentendimento entre tucanos e progressistas, que elegeram prefeito e vice em 2016, teve episódios marcantes desde o ano passado em meio às discussões sobre a revisão da planta do IPTU, em projeto encaminhado pelo prefeito à Câmara de Vereadores. A gota d’água para Marchezan, na visão de Nedel, envolveu o comportamento da bancada progressista, em abril: dos quatro vereadores, dois votaram contra, o que o prefeito encarou como uma afronta ao governo.

Desde então, segundo o PP, ocorreram exonerações sistemáticas entre os quadros da legenda, cedidos para cargos na Prefeitura. As demissões foram consideradas uma forma de retaliação. Nas últimas semanas, cartas foram trocadas entre dirigentes do PP e do PSDB, apontando formalmente os descontentamentos e expondo o desgaste na relação, ao ponto que o prefeito passou a sustentar publicamente que o Partido Progressista passou para o lado da oposição.

*Com informações do repórter Luiz Sérgio Dibe