Gilmar Mendes diz que Moro era “chefe da Lava Jato” e Dallagnol, “um bobinho”

Ministro do STF concedeu entrevista à revista Época

Gilmar Mendes afirma que Moro e Dallagnol "anularam a condenação" do ex-presidente Lula | Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil / CP Memória

O Ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes criticou a relação entre o ex-juiz Sérgio Moro e o Procurador da República Deltan Dallagnol. Para o Magistrado, os principais nomes da operação Lava Jato “anularam a condenação” do ex-presidente Lula com a suposta colaboração entre os dois. As declarações foram dadas em entrevista à revista Época, em reportagem publicada nesta quinta (13).

As revelações do site The Intercept Brasil, segundo o ministro, mostraram que ““o chefe da Lava-Jato não era ninguém mais, ninguém menos do que Moro”. Para Gilmar, Dallagnol “é um bobinho”, enquanto o verdadeiro operador da força-tarefa era o atual ministro da Justiça e Segurança Pública.

De acordo com a Época, Mendes identificou implicações diretas das mensagens expostas com detalhes da operação. O ministro do STF acusou Moro e Dallagnol de terem simulado uma denúncia. “Não é só uma falta ética, isso é crime”, afirmou à publicação. Gilmar Mendes ainda disse não ser contra o combate à corrupção, mas contra o que denominou de “modelo de Curitiba”.