Crise argentina derruba, em 9%, exportações da indústria gaúcha em abril

No acumulado do quadrimestre, retração é de 5,9%

Indústria. Foto: Marcos Issa / Divulgação / CP Memória

As exportações da indústria gaúcha totalizaram US$ 893 milhões, em abril. O montante representa queda de 9,3% no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Só quatro dos 23 setores analisados tiveram aumento: Celulose e papel (38,6%), Químicos (5%), Tabaco (4,8%) e Bebidas (100%).

O resultado de abril acompanha a tendência verificada desde o início do ano. No fechamento do trimestre de janeiro a março, as vendas externas caíram 5,2%. “A crise econômica argentina continua contribuindo para as perdas gaúchas. O vizinho sul-americano é o terceiro principal destino de nossas vendas. Em abril, a Argentina reduziu em mais de 50% as compras de produtos daqui”, salienta o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Gilberto Petry.

Se quatro segmentos registraram aumento nas exportações, por outro lado, 12 recuaram em abril, sobretudo os de Alimentos (-15,9%), Máquinas e equipamentos (-21,5%) e Veículos (-31,7%).

Apesar do recuo em alimentos pela primeira vez em 37 meses, todas as mercadorias do complexo da carne retomaram o crescimento nas exportações. Já as perdas sofridas em veículos e máquinas e equipamentos também decorrem do encolhimento do maior mercado comprador desses setores, a Argentina.

Ao mesmo tempo, as importações gaúchas, que alcançaram US$ 528 milhões, também caíram em abril, pela terceira vez consecutiva em 2019.

Acumulado

De janeiro a abril, as exportações acumuladas da indústria gaúcha (US$ 5,5 bilhões) sofreram retração de 5,9% na comparação com o mesmo período de 2018.

Já o montante importado pelo RS atingiu US$ 2,9 bilhões, decréscimo quadrimestral de 12,8% ante o mesmo período de 2018.