Diretor do Detran critica indecisão a respeito de placas do padrão Mercosul

Presidente Bolsonaro disse que pretende rever a medida em todo o país

Foto: Alina Souza/CP

Com o anúncio do presidente Jair Bolsonaro sobre a possibilidade de suspensão da utilização da placa padrão Mercosul no Brasil, os dez estados que já utilizam estão em compasso de espera. Desde o final do ano passado, o novo modelo começou a ser instalado em carros novos e nos casos de transferências de veículos. No Rio Grande do Sul, já foram instaladas 300 mil placas Mercosul.

Conforme o recém empossado diretor-presidente do Departamento de Trânsito (DetranRS), Enio Bacci, a incerteza prejudica os motoristas gaúchos, considerando que o sistema foi plenamente instituído no Estado. “É urgente que o governo federal defina isso porque as placas cinzas nem são mais fabricadas. O presidente eleito já tinha alertado que poderia acabar com a instalação do modelo Mercosul, mas os estados, ainda assim, se precipitaram. Bom, agora é necessário definir rapidamente porque já são dez estados com a utilização da placa nova e mais de um milhão de carros com a nova placa”, sustenta.

Bacci lembra que Bolsonaro, quando ainda candidato, já tinha sinalizado que derrubaria a instalação das placas padrão Mercosul, caso eleito. “Ele deixa transparecer que provavelmente não aceitará, estamos buscando caminhos agora. A decisão final será do governador Eduardo Leite as possibilidades de manutenção das placas para quem já instalou”.

O custo para instalação da nova placa é de aproximadamente R$ 200. O modelo é considerado mais seguro porque promete impedir a clonagem, mas ainda faltam assinaturas de convênios para interligar os sistemas entre todos os países do bloco econômico.