Emater atrasa salários por falta de repasses do Estado

Cerca de 2,1 mil trabalhadores da empresa de extensão rural teriam de receber no 2º dia útil do mês

Foto: Divulgação/Emater/RS

A Emater, empresa que presta assistência técnica em 95% dos municípios gaúchos, atrasa os salários de fevereiro dos 2.163 funcionários da instituição. O motivo é a falta de repasse do convênio que tem com o governo do Estado, o que representa cerca de 65% das receitas mensais da Emater.

O salário dos funcionários deve ser depositado até o segundo dia útil do mês, conforme determina acordo coletivo. Os servidores da Emater não são funcionários públicos, mas contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O presidente da Emater, Iberê de Mesquita Orsi, explica que a empresa tem receitas de outras fontes, mas como o Piratini não repassou a verba prevista para janeiro e fevereiro, faltou dinheiro para a folha salarial. “Prestamos serviços também para o governo federal e municípios, com verbas diluídas ao longo do ano. Como o Estado não pagou nos últimos dois meses, já utilizamos todo os recursos disponíveis”, sustenta.

Como os trabalhadores são celetistas e o pagamento em atraso incide multa, o presidente diz que notificou, ainda na semana passada, o secretário da Agricultura, Covatti Filho, alertando para os riscos. “Agora temos 72h a partir da notificação dos sindicatos que representam os funcionários para fazer os depósitos ou seremos multados”, completou Orsi.

A Secretaria da Fazenda foi procurada pela reportagem, mas ainda não se manifestou sobre os repasses.