Viva a vida!

Eu nunca vou sofrer de depressão sabe por quê? Porque me invento a cada dia, porque a vida junto à natureza me fortalece e porque a simplicidade e a verdade andam de braços dados comigo.

Pessoas que só atentam para o próprio umbigo, não levantam os olhos para olhar o mundo ao redor, vão à igreja rezar da boca para fora e fazem questão que a mão direita saiba o que a esquerda fez, essas pessoas quero longe de mim!

Não me servem criaturas preconceituosas, cheias de si, que são incapazes de ajudar o próximo de coração leve. Tipo de gente que estende a mão e cobra por isso. É decepcionante reconhecer num ser humano o seu lado escuro, e constatar que não existe fórmula que cure gente assim, até porque nem querem ser ajudadas. Solitárias e infelizes, refutam alternativas que podem ser usadas para modificar a resposta cerebral e melhorar o humor.

A depressão pode ter cura, é um transtorno psiquiátrico, em que o humor deprimido e a perda de vontade, associados a outros sintomas, como alterações do sono, do apetite, sentimento de culpa, atrapalham o dia-a-dia da pessoa. Existem fatores que influenciam o desenvolvimento da depressão, como causas genéticas ou hereditárias, e causas ambientais, como um momento estressante da vida ou a perda de alguém importante, por exemplo. Alguém, às vezes, que o depressivo abandonou em algum momento da vida à própria sorte… Nesses casos, é sempre importante procurar ajuda de um psiquiatra, que irá definir o tipo de tratamento necessário.

Mas, sou grata por não entrar nesse tipo de frequência, porque minha vida é pautada com música, alegria, doze cachorros, sete gatos, um cavalo que não é meu, muito amor e, principalmente, por dividir com o próximo não só coisas materiais e sim o sentimento de solidariedade, de amor e respeito aos meus semelhantes.