Cancelada sindicância para apurar gravações na Câmara de Vereadores

Procedimento chegou a ser cogitado após vereadores descobrirem gravador em reunião de lideranças

Foto: Ederson Nunes/CMPA

Após a descoberta de um gravador na sala em que era realizada a primeira reunião de lideranças de 2019 na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, a presidência da Casa informou que o caso se encerrou hoje com a análise de imagens de câmeras e conversa com servidores que fazem o preparo das reuniões.

A presidente Mônica Leal disse que conversou com os funcionários da Câmara e ouviu deles que a gravação das reuniões é uma prática recorrente nos locais onde são realizadas  audiências de comissões. Depois das explicações, a vereadora cancelou a sindicância. “É uma prática de rotina ajustar a sonorização e o gravador para registrar as audiências. A partir de agora, deve estar especificado, em ofício, a solicitação de gravação”, ressalta.

Na última segunda-feira, quando era realizada a reunião em uma sala de comissões da Câmara, o vice-líder do governo na Câmara, Moisés Barbosa, encontrou um equipamento gravando a conversa. “Fui desligar o som dos microfones porque não estávamos utilizando e, para minha surpresa, encontrei um microfone da Sony gravando por 3h. Todo mundo ficou extremamente surpreso porque, naquele caso, ninguém solicitou gravação”.

O conteúdo do gravador foi apagado e o equipamento, entregue à presidente da Casa. As reuniões de liderança definem quais projetos devem ser debatidos em plenários e quais as estratégias de tramitação das propostas nas comissões. Os encontros acontecem, em geral, nas salas da presidência, na Adel Carvalho ou das comissões.