MDB da Capital decide nesta quarta se entra no governo Marchezan

Diretório estadual decidiu pela adesão ao governo de Eduardo Leite, no início da semana

Foto: Divulgação

O MDB de Porto Alegre deve decidir amanhã se ingressa na base do governo do tucano Nelson Marchezan Júnior. Caso a medida se confirme, a sigla vai repetir, na Capital, o movimento que culminou em aliança com o governador eleito, Eduardo Leite. Ontem, o diretório estadual aprovou, por 47 votos a nove, a adesão ao governo do tucano. Em ambas as esferas, o PSDB venceu nas urnas o MDB. Em Porto Alegre, Sebastião Melo disputou contra Marchezan o segundo turno, em 2016.

A expectativa é que o partido receba uma secretaria caso ingresse na base de Marchezan. Para o PSDB, é importante que o atual prefeito obtenha mais votos para projetos importantes na Câmara de Vereadores, como a revisão da planta do IPTU. Derrotado em 2017, o projeto retornou ao Parlamento este ano e acabou retirado da pauta.

O vereador Pablo Mendes Ribeiro (MDB), que indicou nomes para cargos em comissão no governo de Marchezan, defende a adesão do partido. “Feito o convite, decidimos que temos como contribuir para as decisões da cidade. Temos como somar, mas para isso ainda temos uma decisão partidária a tomar”, ressaltou, em entrevista ao Guaíba News.

Caso ingresse na base do tucano e a indicação da sigla para uma secretaria se confirme, uma vaga deve ser aberta na Câmara de Vereadores. Dessa forma, abre-se também espaço para a suplente Lourdes Sprengler. O ex-vice-prefeito da Capital, Sebastião Melo, é contrário à adesão. Ele também era contra o ingresso do partido na base de Eduardo Leite, mas se tornou voto vencido.