Roupas seguem na liderança entre presentes para o Natal no RS, revela CDL

Levantamento apontou que 68% dos entrevistados vão presentar amigos e familiares com alguma peça de roupa

Preferência por vestuário chega a 68% | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

As roupas, a exemplo de anos anteriores, seguem como presentes preferidos no Natal, indicou estudo encomendado pela CDL Porto Alegre à Vitamina Pesquisa. Em um universo de 300 entrevistados, 68% revelaram que vão presentear amigos e familiares com alguma peça de vestuário. O número sobe para 82% quando consideradas só respostas dos 100 participantes com mais de 60 anos.

Neste ano, no entanto, conforme o levantamento, outros itens ganharão espaço na hora de o consumidor escolher o presente. É o caso, por exemplo, de bijuterias, jogos, utensílios de cozinha e viagens ou passeios.

Novidade nos números da CDL Porto Alegre referentes ao Natal de 2018, o recorte específico sobre o comportamento do consumidor com mais de 60 anos mostrou que esse público está disposto a comprar, em média, sete presentes, investindo R$ 166,80 em cada um deles, enquanto o público geral pretende adquirir seis produtos com tíquete médio de R$ 139,15.

Consumidores com mais de 60 anos, segundo o estudo, fazem as compras parcelando no cartão de crédito (35%) ou à vista no débito (34%). Na escolha dos presentes, a maioria destinados a filhos e netos, esse grupo leva em conta o preço, o atendimento e a facilidade de acesso. É por isso que 60% desses entrevistados preferem adquirir presentes em shoppings ou centros comerciais.

Outro aspecto é o volume de compras pela Internet. No universo do total de entrevistados, 13% dizem adquirir presentes por meio de sites. Dentre o público com mais de 60 anos, esse número cai a 8%.

Conforme o presidente da CDL Porto Alegre, Alcides Debus, os números refletem um clima de confiança. “A expectativa para 2019 é aumento mais rápido da massa salarial, decorrente de novos investimentos da iniciativa privada no país e da concessão de crédito, fatores determinantes para o avanço do varejo neste novo cenário”, destacou Debus.