TCE pede informações sobre falta de professores em escolas da Capital

Rede municipal deve recuperar aulas, segundo a Smed

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) pediu informações à Prefeitura de Porto Alegre a respeito da falta de professores na rede pública municipal. A solicitação do procedimento especial ocorre após a Corte verificar a ausência de docentes de matemática e português em alguns colégios, desde o início do ano letivo.

Em intimação do conselheiro Cezar Miola, aprovada pelo plenário na semana passada, o Tribunal solicita que o prefeito informe o número de professores que falta, por área ou disciplina, em cada escola da rede municipal. Além disso, ele pede que sejam detalhadas as providências para solucionar o problema e um plano de ação para evitar que as situações se repitam em 2019.

Conforme o TCE, turmas de escolas da zona Sul chegaram a ficar por meses sem professores para as disciplinas de matemática e português. Em entrevista ao Guaíba News desta quinta-feira, o secretário da Educação Adriano Naves de Brito admitiu que a falta de professores ocorreu. Segundo ele, a greve dos servidores municipais contribuiu para o transtorno. Além disso, docentes nomeados desistiram de iniciar as aulas, observou.

Conforme Brito, as aulas serão recuperadas até o fim do ano. “Eles terão aulas em turnos inversos para concluir as disciplinas. Todos os calendários foram repactuados para cumprir também o período de greve e os conteúdos que não foram ministrados”, salienta.

Os professores municipais realizaram greve por cerca de 40 dias com impacto maior em algumas escolas da rede. No entanto, colégios como o Carlos Pessoa de Brum, no bairro Restinga, ficaram sem docentes para determinadas disciplinas, sem a devida reposição.

As respostas exigidas pelo TCE foram encaminhadas hoje, mas ainda não foram analisadas pelo Tribunal.