CEEE encerra até a semana que vem pré-fiscalização do uso compartilhado de postes na Capital

Projeto piloto da iniciativa ocorre nas avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas

Equipes da CEEE fiscalizaram postes na Avenida Padre Cacique./ Foto: Jéssica Moraes./ Rádio Guaíba.

Depois de fiscalizar, nessa manhã, a fiação excedente em postes de uso compartilhado na avenida Padre Cacique, a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) confirmou que finaliza o trabalho preliminar, no trecho do projeto-piloto da iniciativa, na semana que vem.

Durante dois meses, além do mapeamento, agrupamento e tentativa de identificação do material pertencente a empresas de telecomunicações, a companhia preparou um relatório a ser apresentado, nesta quinta-feira, durante reunião com as prestadoras de serviço.

O objetivo, além de mostrar às empresas que descumpriram parte das necessidades de regularização, é também estabelecer a data de início da retirada de cabos irregulares e o reagrupamento do que não estiver corretamente instalado.

Conforme o engenheiro responsável pela operação, Sérgio Appel, as irregularidades foram identificadas e os técnicos verificaram cabos de empresas sem ligação com a CEEE. Nesses casos, o material vai ser retirado. Nos demais, as empresas devem fazer os ajustes.

“Encontramos cabos soltos ao longo dos postes, e eles devem estar amarrados e adequados no espaçamento vertical. Há postes com estrutura nova, que devem estar fixados. E ainda o risco elétrico, muitos cabos estão próximos à rede energizada”, detalha Appel.

Todas as 76 empresas que mantêm contrato de compartilhamento de infraestrutura em Porto Alegre foram notificadas no início de julho e tinham prazo até agosto para se regularizarem. Elas receberam carta com aviso de recebimento, foram acionadas por e-mail e, em alguns casos, houve reforço por telefone.

Desde setembro, a companhia examina toda a rede da área prevista no projeto-piloto, que é o trecho das avenidas Borges de Medeiros e Padre Cacique.

As próximas etapas da fiscalização, ainda sem prazo, abrangem a Carlos Gomes, a Augusto Meyer e a Tarso Dutra.