PSB gaúcho mantém apoio a Sartori; diretório nacional fica com Haddad

Prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, informou, hoje, que discorda de aceno ao PT

Foto: Guilherme Almeida/CP

O presidente em exercício do PSB gaúcho, Mário Bruck, reafirmou hoje a decisão do Congresso Estadual da sigla, realizado em junho, de apoio à candidatura de José Ivo Sartori (MDB) na disputa pelo governo gaúcho. A manifestação veio após especulações de que uma suposta retirada do apoio da sigla à reeleição de Sartori em segundo turno após o apoio do MDB à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), confirmado ontem. “O Congresso é soberano e o apoio ao atual governador venceu com ampla maioria”, destacou.

De acordo com Bruck, o apoio também independe da decisão nacional em se coligar com Fernando Haddad, anunciada na tarde de hoje. O prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, informou, hoje, que discorda da posição da direção nacional. “Em hipótese alguma farei campanha para o PT”, afirmou. Passo Fundo é a maior cidade governada pelo PSB no Rio Grande do Sul.

Em nível nacional, o apoio do PSB, que se manteve neutro na disputa presidencial em primeiro turno, fica condicionado ao compromisso de formação de uma frente ampla democrática.

Os diretórios de São Paulo e do Distrito Federal, cujos candidatos a governador, Márcio França e Rodrigo Rollemberg, concorrem no segundo turno, ficaram livres para decidir o apoio presidencial.

O presidente nacional da sigla, João Carlos Siqueira, propôs que se forme uma frente democrática contra “a candidatura que representa o extremo oposto às forças democráticas”. “No momento difícil que vive o país, tendo em vista a necessidade da unidade nacional, que a candidatura tenha um programa que não seja somente de um partido. Não estamos apoiando o candidato do PT, mas o candidato que defende a democracia”, sustentou em coletiva de imprensa.