Quadrilha é denunciada por golpe da casa própria em sete cidades

Acusados recebiam parcelas de casas pré-fabricadas financiadas sem nunca entregar as unidades aos compradores

O Ministério Público em Viamão denunciou sete pessoas por formação de quadrilha e estelionato. O grupo cometia o chamado golpe da casa própria em sete cidades gaúchas. Conforme as investigações da Polícia Civil, houve pelo menos 67 vítimas.

Foram denunciados os irmãos Sidnei Nunes Silva, David Jose Nunes Heberle e Naralice Nunes Silva, além de Jaime Bibiano da Silva e Luciano Agnes Besestil – os cinco detidos preventivamente –, bem como Alessandra Ribeiro e Anderson Dias de Quadros. As investigações dão conta que eles embolsaram indevidamente mais de R$ 1 milhão.

Segundo a denúncia, o grupo constituiu quatro empresas para a construção de casas pré-fabricadas e as utilizou para cometer crimes em Porto Alegre, Guaíba, Gravataí, Alvorada, Canoas, Osório e Imbé. A empresa induzia as vítimas a erro, prometendo a construção de residência mais baratas do que os preços de mercado, mas após o recebimento dos valores correspondentes à entrada do contrato, não cumpria a totalidade do acordo.

Algumas famílias chegaram a desmanchar as casas onde viviam para as futuras construções e acabaram tendo de ir morar junto a parentes até o fim da obra, o que nunca acontecia.

Além da fraudes, os acusados faziam ameaças, com o uso de armas de fogo, contra quem aparecia nas construtoras para reclamar. A fraude se estendeu entre 2014 e 2018. Somente no primeiro semestre deste ano, os denunciados venderam 34 casas ao valor de R$ 526 mil.

Vítimas

Em um dos casos, uma família dependia de uma casa maior para dar continuidade ao tratamento de uma criança, que recém havia sido submetida a um transplante de medula óssea. Outra vítima teve a residência anterior destruída por um vendaval e recebeu a promessa de uma unidade pré-fabricada no prazo de 20 dias, o que nunca ocorreu.