Inflação sobe 0,48% e é a maior para setembro desde 2015, aponta IBGE

Aumento do IPCA foi influenciado, principalmente, pelo setor de transportes

Redução será de dois centavos por litro. Foto: Maria Ana Krack/PMPA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do País, subiu 0,48% em setembro. O resultado é o maior para um mês de setembro desde 2015, quando o IPCA registrou 0,54%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístca (IBGE).

O acumulado no ano ficou em 3,34%, acima do 1,78% registrado em igual período do ano passado. Nos últimos doze meses, o índice ficou em 4,53%, acima dos 4,19% dos 12 meses imediatamente anteriores. Em setembro de 2017, a taxa atingiu 0,16%.

Dos nove grupos de serviços pesquisados pelo IBGE, sete apresentaram alta no período. O setor que indicou maior inflação foi o de transportes, com aumento de 1,69%, após apresentar queda de 1,22% em agosto. Segundo o IBGE, os transportes tiveram maior variação para setembro desde a implantação do Plano Real em 1994.

O que mais contribuiu para o aumento dos preços no setor de transporte foi o combustível que, após apresentar queda de 1,86% em agosto, aumentou 4,18% em setembro: a gasolina teve variação de 3,94%, o etanol de 5,42% e o óleo diesel de 6,91%. A passagem aérea teve aumento de 16,81%, sendo que o período também colaborou para o crescimento da inflação do setor.

O grupo de alimentação e bebidas também teve alta. O aumento de 0,10% foi influenciado, principalmente, por frutas (4,42%), arroz (2,16%) e pão frânces (0,96%). Em agosto, o setor tinha apresentado queda de 0,72%. Já o setor de habitação variou 0,30% no item de taxa de água e esgoto devido ao reajuste das tarifas em Belém, Vitória, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.