Lei da Ficha Limpa impugna cinco candidaturas gaúchas

Todos os impugnados pela Ficha Limpa concorrem a uma vaga na Assembleia Legislativa

Imagem: Arquivo CP

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Sul recebeu 1.275 pedidos de candidatura para o cargo de deputado nas eleições deste ano. São 853 registros para deputado estadual e 422 para federal. Desse total, cinco candidaturas estão impugnadas com base na Lei da Ficha Limpa, o que representa 0,4% do total. Um sexto candidato também foi enquadrado como ficha suja, mas a candidatura dele já foi indeferida por ausência de requisito para o registro.

Os cinco candidatos impugnados pela Lei da Ficha Limpa concorrem a uma cadeira na Assembleia Legislativa. Eles continuam em campanha, pois aguardam o julgamento de recurso na justiça eleitoral. Desses, dois já ocupam cadeiras no Parlamento gaúcho: Altemir Tortelli (PT) e Gilmar Sossella (PDT). Os outros são José Airton dos Santos (DEM), Julio Galperim (PSD) e Paulo Azeredo (PDT).

Dos 583 postulantes a uma cadeira na Assembleia Legislativa, 34 deles tiveram o registro indeferido pela Corte. Desses, 25 entraram com recurso e aguardam julgamento. Em relação aos concorrentes a uma vaga na Câmara Federal, 14 registros foram indeferidos, mas sete também aguardam julgamento de recurso e continuam em campanha.

Em todo o País, segundo dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 173 candidatos foram julgados inaptos por causa da Lei da Ficha Limpa, entre eles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pretendia disputar o Palácio do Planalto pelo PT. No total, a justiça eleitoral recebeu 29.101 pedidos de registro.