Mais contente que centopeia de sapato novo!

Descansar faz um tremendo bem e deve virar hábito, pois todo mundo precisa de um tempo para recarregar as baterias. Quem não tira férias pode render menos no trabalho, se irritar com mais facilidade e se sentir insatisfeito com maior frequência.

Segundo estudos realizados na Inglaterra e divulgado pelo jornal The Daily Mail, foi comprovado que alguns dias de descanso podem trazer muitos benefícios para a saúde.
Cientistas ingleses descobriram que o simples fato de se desligar por alguns dias e visitar novos lugares é suficiente para diminuir a pressão arterial, melhorar a qualidade do sono e eliminar o estresse. Eles também revelaram que os benefícios podem se estender por pelo menos 15 dias após a viagem. Em alguns casos, o bem-estar causado pelos dias de descanso pode chegar a se prolongar por alguns meses.

E se isso não fosse o bastante para entendermos a importância do descanso anual, os testes também revelaram a diminuição nos níveis de glicose no sangue, diminuição do risco de diabetes, redução de medidas, melhora do humor e dos níveis de energia. E todos esses sinais se mantêm por, no mínimo, duas semanas depois de voltar para casa.

Por esse motivo, os especialistas recomendam que todo funcionário se desligue durante o período total de férias a que tem direito. Então, tudo isso para lhes dizer que estou entrando em férias e volto em outubro e, o que farei nesse período? Bueno, mexer na terra, explorar a flora de Itapuã, vou comer bergamota direto do pé sentada ao sol, filmar manhãs e entardeceres de muita beleza, acordar com o canto dos milhares de pássaros que vadeiam por aquelas plagas, mimar meus doze pets, afofar meus felinos, e “supervisionar” a cachorrada da vizinhança que estão sempre fome…

Vou me desligar da rotina, tirar o atraso da leitura, recarregar as baterias caminhando pela mata, enchendo o corpo e a alma de energia para recomeçar um novo ciclo na vida e ficar novinha em folha! Outra coisa: vou comer sem pressa, saborear cada alimento colocado no prato, incluindo a sobremesa. Um privilégio para poucos!

Sei que os meus queridos colegas vão sentir minha falta, “muito principalmente por causa do cafezinho e os mimos que preparo para eles durante o ano…”. E já estão resmungando querendo saber quando eu volto… Sentir-se querida faz bem para o ego e para o coração (nem que seja só pelo chazinho, cafezinho, biscoitinho… não é mesmo gurizada?).

Eu volto, com a mala de garupa lotada, com um farnel de pães, rosquinhas, queijo (só pro Gustavo Chagas) e guloseimas e acepipes. Me aguardem! Hasta la vista, babys!