Natalia Oreiro é homenageada com Kikito de Cristal

Troféu é concedido a expoentes do cinema latino-americano

Atriz recebe homenagem. Foto: Edison Vara / Pressphoto

Protagonista de “Gilda, não me arrependo deste amor”, Natalia Oreiro foi homenageada com o Kikito de Cristal na noite desta quarta-feira. O prêmio é concedido há 12 anos para destacar os expoentes do cinema latino-americano. A atriz e cantora se torna a terceira mulher a receber consecutivamente a premiação.

“Em um país tão grande como o Brasil é muito importante que haja prêmios reconhecendo a produção cinematográfica dos países vizinhos. Pessoalmente, esse reconhecimento tem um valor muito grande mesmo que eu ainda tenha uma carreira relativamente recente. É muito importante”, disse à reportagem. Além de filmes, a atriz também participa de diversas produções para a televisão e diz que está envolvida na elaboração de um roteiro sobre a máfia nos anos 1920 e 1930.

Natalia Oreiro recebe o troféu no ano em que completa duas décadas de atuação no cinema. A estreia aconteceu em 1998, com “Um argentino em Nova Iorque” (1998). Em 2012 e 2013, Oreiro foi protagonista das duas produções que a Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Argentina selecionou para representar o país na briga pela indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. É o caso de “Wakolda” e “Infância Clandestina”, esse último obteve grande sucesso ao retratar a mudança de nome e de vida de um garoto de 11 anos porque seus pais fazem parte da resistência à ditadura militar na Argentina.

Recentemente, a atriz protagonizou a cinebiografia “Gilda, não me arrependo deste amor”, longa que narra a trajetória da mítica cantora e compositora de cumbias, morta tragicamente em 1996. O longa foi considerado “o filme do ano” no país vizinho, em 2016, e ultrapassou a marca de um milhão de espectadores no cinema. Por seu desempenho na pele da biografada, Natalia Oreiro foi reconhecida pela crítica e pelo público, recebendo três troféus de melhor atuação.