Saúde contrata nova empresa para operar Samu estadual

Companhia venceu pregão realizado nesta sexta-feira

Imagem: Divulgação Simers

Após a greve de atendentes do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), que causou demora no atendimento a chamadas na maioria das cidades gaúchas no início da semana, a Secretaria Estadual da Saúde contratou uma nova empresa para operar as ligações e encaminhar as solicitações de socorro médico. O pregão ocorreu na manhã desta sexta-feira.

A Pasta não informou se a contratação se deu por dispensa de licitação ou contrato emergencial, nem qual companhia venceu o pregão. Também não informou a partir de quando o serviço passa a ser operado pela nova prestadora, nem por qual período. Em caso de modalidade emergencial, a validade máxima do contrato é de seis meses, prorrogáveis pelo mesmo período.

O governo garante que o Samu estadual opera normalmente após o pagamento de salários atrasados a parte dos 150 atendentes que participaram da greve, de 48h. A Secretaria da Saúde obteve autorização da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para fazer uma negociação de forma emergencial e quitar as pendências fazendo repasses diretos aos telefonistas e rádio-operadores da empresa terceirizada responsável pelo serviço.

Conforme a Pasta, os salários, atrasados desde maio, foram quitados, integralmente, até essa quinta-feira. A SES informou, ainda, que a Justiça do Trabalho determinou o bloqueio de pagamentos para a companhia FA Recursos Humanos, que conforme os trabalhadores não vinha repassando o dinheiro recebido.