Mais de 6,4 mil marquises e sacadas estão sem laudo estrutural em Porto Alegre

Prefeitura realizou chamamento recente para lembrar síndicos e proprietários da necessidade de regularização da documentação

Foto: Betina Carcuchinski/PMPA

O município de Porto Alegre registra 6,4 mil marquises e sacadas com laudo estrutural vencido, de acordo com a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Smams). Venceu o prazo estipulado em edital para os responsáveis pelos 8 mil edifícios com esse tipo de construção apresentarem o documento. Só cerca de 1,6 mil foram entregues.

Mesmo fora do prazo, síndicos e proprietários devem continuar apresentando a documentação que comprove regularidade ou problemas estruturais, salienta a coordenadora de Manutenção Predial da Pasta do Meio Ambiente, engenheira Eliana Bridi. O laudo vale por três anos.

“No período do edital houve uma renovação de 10% a 12%, isso foi ótimo. O edital não está mais valendo, mas as regras permanecem. O edital foi apenas um chamamento”, sustenta.

Recentemente, a secretaria avaliou as edificações da avenida Farrapos. A escolha do local se deu por conta da degradação da área. Das 118 marquises localizadas na via, atualmente só 10% das construções tinham laudo válido.

Falhas nas estruturas, como sobrecarga com veículos de publicidade sem licença e aparelhos de ar condicionado, assim como a falta de manutenção e ocorrência de infiltrações devem ser avaliadas pelo engenheiro ou técnico contratado para emitir o parecer.

Em julho de 2016, uma mulher de 34 anos morreu devido ao desabamento da marquise de um prédio em obras, no centro da Capital, entre as ruas Salgado Filho e Annes Dias. A vítima, Tatiane Duarte da Silva, era funcionária de uma padaria localizada no térreo do edifício.