A um dia do fim do contrato, segue indefinido futuro da concessão da FreeWay

Tendência é de que a Concepa siga administrando o trecho

Pico de tráfego ocorreu de manhã e fluxo caiu bastante às 20h. Foto: Alina Souza/CP

O contrato da Triunfo Concepa, concessionária responsável pela FreeWay, termina nesta terça-feira e persiste a indefinição sobre se a empresa vai ou não continuar administrando a estrada. Caso a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não prorrogue novamente a contratação, como já ocorreu no ano passado, as cancelas terão de ser erguidas e o pedágio deixa de ser cobrado.

A tendência, no entanto, é de que haja renovação da Concepa como permissionária da rodovia. A ANTT informou que não há tempo hábil para a publicação de edital. Falta definir quais as condições e o prazo de um eventual novo termo aditivo. A avaliação precisa levar em conta apontamentos recentes do Tribunal de Contas da União (TCU).

Caso o contrato seja prorrogado, a tendência é que a tarifa tenha de ser reduzida conforme definição da Agência de Transportes.

Em paralelo, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) realizou uma licitação para garantir que, em caso de rompimento de contrato com a Concepa, seja assegurada a passagem de navios pelo vão móvel da ponte do Guaíba. O Dnit garante que se trata de um edital preventivo.

A empresa HHTEC Comércio e Serviços Eireli venceu a concorrência. A companhia fica encarregada de realizar os içamentos previstos durante um ano. O contrato pode ser interrompido a qualquer momento, de acordo com o Departamento.