Ministro volta a dizer que água contaminada pode ter provocado surto de toxoplasmose em Santa Maria

Gilberto Occhi pede que população mantenha cuidados com a alimentação

Em passagem pelo Rio Grande do Sul para fazer um anúncio de liberação de verbas para hospitais, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, voltou a dizer que a provável causa do início do surto de toxoplasmose em Santa Maria tenha sido água contaminada. Ele observou, porém, que a análise das amostras mais recentes sugere que o foco pode ter sido eliminado.

Todas as tendências levam à água, não temos o que esconder. Outras causas foram eliminadas e o mais provável é que tenha sido a água naquele momento, isso foi lá em fevereiro… Nas amostras feitas agora, não temos mais como comprovar”, disse em conversa com jornalistas no Palácio Piratini.

Em uma entrevista na semana passada, o ministro confirmou a água como causa. Em entrevista coletiva na última terça, o secretário nacional em Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde afirmou que existe a possibilidade de que nunca se chegue à origem do problema, mas citou a água e as hortaliças como prováveis vetores.

Occhi destacou que a investigação a respeito da doença continua, em conjunto com técnicos do Ministério, Estado e Município. Garantiu, ainda, que não há motivos para alarme, embora seja importante manter o cuidado de ferver a água e higienizar bem as frutas e hortaliças antes do consumo.

Já em entrevista ao Correio do Povo, o secretário estadual da Saúde Francisco Paz disse, na semana passada, que o ministro deu uma declaração “infeliz”. O prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobon, também criticou a fala do ministro, classificando como irresponsável.

O surto de toxoplasmose, que teve auge em março e abril, está encerrado, segundo a Secretaria Estadual da Saúde. O último caso se registrou em 10 de maio.