Porto Alegre: funcionários da Procempa fazem greve a partir desta quarta

Trabalhadores exigem reposição salarial e manutenção de benefícios conquistados em anos anteriores

Trabalhadores da Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) fazem greve por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira. Os funcionários exigem reposição salarial e manutenção de benefícios conquistados em anos anteriores.

A categoria entrou em campanha salarial em maio, reivindicando reajuste de 4,08%, que ficou pendente da negociação do ano passado, mais as perdas salariais de 2,76%, relativas a 2018. Conforme os funcionários da Procempa, a direção pretende cortar benefícios, como o anuênio e dar aumento zero. Além disso, dizem que o plano de saúde foi trocado e passou a dar cobertura menor.

“No ano passado, fechamos acordo em que ficou acertada a reposição de dois anos de salário neste ano porque não foi possível conceder a inflação em 2017. Além disso, o plano de saúde ofertado é muito ruim e outros auxílios estão sendo cortados”, disse o diretor Sindicato dos trabalhadores em Processamento de Dados no RS (Sindppd/RS), Carlos Osório.

A entidade denunciou, ainda, que a empresa e a Prefeitura pretendem terceirizar serviços importantes da companhia, além de subaproveitar o corpo técnico da Procempa.

A empresa pública de Tecnologia da Informação da Capital conta com 350 funcionários, sendo responsável pelos sistemas da área da saúde e de arrecadação da Secretaria da Fazenda. A Procempa também mantém os serviços de e-mail e sites das secretarias, autarquias e demais órgãos da prefeitura, bem como das escolas da rede municipal de educação.

Além disso, a companhia pública responde pela manutenção e funcionamento do sistema de câmeras e de vigilância do Centro Integrado de Comando da Cidade de Porto Alegre (CEIC).

Uma assembleia para definir os rumos da greve acontece ainda na manhã desta quarta-feira. A última reunião de negociação com a direção da empresa ocorreu na sexta-feira.