Em meio à crise do Asilo Padre Cacique, ministro libera doação de leite em pó

Déficit mensal da instituição pulou para R$ 400 mil

Ministro visita idosos no Padre Cacique. Foto: Samantha Klein

O Asilo Padre Cacique, que completa 120 anos na próxima terça-feira, vive uma das piores crises da história da instituição. Desde maio, está suspenso o ingresso de novos idosos e funcionários vêm sendo demitidos em uma tentativa da direção de amenizar o rombo financeiro. Em dezembro de 2017, o déficit alcançou a marca de R$ 2,55 milhões.

Aproveitando agenda em Porto Alegre, o ministro do Desenvolvimento Social visitou o local, no fim da tarde desta sexta-feira. Alberto Beltrame se comprometeu a avaliar se é possível incluir o asilo em algum programa com previsão de repasse de recursos, mas, no local, garantiu a entrega de duas toneladas de leite em pó, nos próximos dias. “É um auxílio muito emergencial, mas a visita é também para conhecer melhor a realidade e buscar uma forma para tentar minimizar o problema”.

De acordo com o presidente da entidade, as doações são bem-vindas, apesar de insuficientes para cobrir o rombo da instituição, fundada no fim do século XIX. Conforme Edson Brozoza, enquanto as doações de empresários diminuíram, o déficit mensal pulou para R$ 400 mil.

“Imaginávamos que teríamos a resgatar mais recursos provenientes do Fundo Municipal do Idoso. Além disso, o Ministério do Trabalho nos proibiu de contratar pessoal via cooperativas. Assim, nossas custas sociais dobraram nos últimos meses”, ressalta. O Asilo Padre Cacique comporta 150 idosos, mas o número de moradores caiu para 112. Havia 128 pessoas atendidas, mas 16 foram realocadas e voltaram a morar com parentes. “Infelizmente, só podemos receber novos moradores se estivem em risco de morte. Caso contrário, não podemos acolher mais ninguém”, finaliza.

Paróquias

Hoje, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) entregou 89 toneladas de leite em pó a paróquias do Rio Grande do Sul. A iniciativa vai beneficiar 77 instituições, localizadas em 13 municípios gaúchos.

Sete mil famílias em situação de vulnerabilidade social receberão 12 kg do produto, por quatro meses. O leite em pó doado é parte de um lote, composto por 1.082 toneladas, comprado em novembro do ano passado pelo Ministério para fortalecer a agricultura familiar na região.