Fachin proíbe Cristiane Brasil de entrar no Ministério do Trabalho

Deputada é investigada em operação da PF contra liberação do registro sindical na instituição

Fachin nega novo pedido de habeas corpus de Lula. Foto: Carlos Moura / SCO / STF / CP

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB) está proibida de entrar no prédio do Ministério do Trabalho, confirmou na tarde de hoje o jornal O Estado de S.Paulo. Por decisão do ministro Luiz Edson Fachin, no âmbito da Registro Espúrio, ela também não pode manter contato com os demais investigados na ação da PF que mira fraudes na Secretaria de Relações do Trabalho da pasta. O gabinete e o apartamento funcional de Cristiane foram alvo de busca e apreensão, nesta terça-feira, na segunda fase da operação da PF, autorizada pelo ministro Fachin.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, indícios “de que a parlamentar integra a organização criminosa que atua no Ministério” foram descobertos a partir da análise de telefones celulares de Renato Araújo Júnior, então servidor do Ministério do Trabalho, membro do núcleo administrativo da suposta organização criminosa, e o suplente de deputado federal Wilson Santiago Filho (PTB-PB).

Segundo o pedido da PGR, foram encontradas trocas de mensagens entre a deputada e Araújo, que era suposto braço direito dela no MTE. Ele afirmou em conversa, no ano passado, com o deputado Santiago Filho que tinha “priorizado ao máximo o senhor (Wilson Santiago Filho), Deley (deputado federal do PTB-RJ) e Cristiane Brasil”.

A Procuradoria cita que, além de orientar o servidor em relação a como agir na análise de pedidos, Cristiane enviou mensagens tratando da cobrança de valores previamente combinados e fazendo referência a Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB e pai dela. Roberto Jefferson também é alvo da Registro Espúrio. Pivô do escândalo do Mensalão do PT, o ex-deputado também teve endereços vasculhados pela PF.

Defesa

“A Deputada Cristiane Brasil recebeu os procedimentos investigativos com tranquilidade, pois não tem papel nas decisões tomadas pelo Ministério do Trabalho, além das relações partidárias”, disse a assessoria dela em nota. “Espero que as questões referentes sejam esclarecidas com brevidade e meu nome limpo”, disse a deputada, de acordo com a nota.