Piratini divulga nota defendendo venda de ações do Banrisul

Nota foi divulgada no mesmo dia em que a CVM oficializou a abertura de um procedimento para investigar a venda de ações do Banco

Foto: Guilherme Testa / CP Memória

O governo do Estado divulgou uma nota oficial afirmando que “as operações de venda de ações do Banrisul foram conduzidas de modo transparente e obedecendo, com absoluta rigidez, a todas as regras determinadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a legislação aplicável”.

A nota foi divulgada na noite dessa quinta-feira, mesmo dia em que a CVM oficializou a abertura de um procedimento para investigar os leilões de venda de ações ordinárias e preferenciais do Banrisul sem aviso prévio ao mercado. Os leilões aconteceram nos dias 10 e 27 de abril.

Ainda de acordo com o governo, “os resultados da venda das ações preservam o interesse público do Rio Grande do Sul e consolidam a posição do banco no mercado. Assim como ocorreu até aqui, o governo do Estado continuará observando todas as regras técnicas e fornecendo todas as informações necessárias aos órgãos de controle”, diz a nota.

Na próxima segunda-feira, uma comitiva gaúcha contrária à venda das ações terá uma audiência com CVM, no Rio de Janeiro, para tratar do assunto. Participarão do encontro o presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul, deputado estadual Zé Nunes (PT), o presidente do Sindicato dos Bancários, Everton Gimenis, e os advogados do sindicato.

Nesta semana, representantes jurídicos do SindBancários e da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras (Fetrafi-RS) entregaram ao procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, uma notícia-crime sobre a venda de ações do Banrisul. A representação elenca 17 itens que aponta como passíveis de esclarecimentos.