"Não derrotaram o governo ou o Sartori, mas os interesses do Rio Grande", sustenta governador

Irritado, o governador José Ivo Sartori fez um pronunciamento no início da noite desta quarta-feira, pouco após a Assembleia Legislativa terminar a terceira sessão extraordinária convocada pelo Executivo sem analisar nenhum dos projetos encaminhados pelo governo.
“Tenho até pena daqueles que acharam uma grande vitória ou que o governador teve uma grande derrota. Não derrotaram o governo ou o Sartori e sim os interesses superiores do RS”, disse já em tom de ironia em referência aos deputados da oposição que se revezaram na tribuna da Assembleia nos últimos três dias. Com a manobra, não foram votados os projetos de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal e privatização da CEEE, CRM e Sulgás.
O governador criticou o radicalismo da oposição e citou projetos que esses parlamentares votaram contra ou não compareceram à sessão. “Uma oposição radical, que causou parte da crise que está aqui”, disse. Ressaltou ainda que tal situação é inédita em 180 anos de Parlamento. “É a primeira vez na história da Assembleia Legislativa (convocação de sessão extraordinária que não tem votação de nenhum projeto)”, diz Sartori. “A sociedade não aguenta mais essa pequenez e traquinagem política”, completou.
Sartori atrelou a postergação da adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) ao agravamento da crise. “Quem vai responder amanhã pelo atraso nos salários ou seu parcelamento? Até pelo pagamento aos municípios”, questionou. Na próxima terça-feira (06), governistas pretendem utilizar o tempo que for necessário para tentar aprovar o aval à renegociação da dívida.