Acordo prevê que apoiadores de Lula acampem no Anfiteatro Por do Sol

O Ministério Público Federal celebrou acordo extrajudicial definindo o Anfiteatro Por do Sol como a área destinada ao acampamento do MST e de de outros movimentos sociais, entre 22 e 24 de janeiro, em Porto Alegre. O grupo organiza vigília para o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso triplex.
No documento, assinado pelo MPF, representantes de movimentos sociais, governo estadual e Prefeitura de Porto Alegre –, também fica estabelecida a limitação do trafego de veículos pela avenida Beira-Rio, entre a Rótula das Cuias e o Estádio Beira Rio, permitindo o acesso de ônibus e caminhões para embarque e desembarque de pessoas e carga e descarga de material, através da avenida Ipiranga.
De acordo com o procurador regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), Enrico Rodrigues de Freitas, a medida “busca assegurar a observância à liberdade de expressão e de reunião”. O acordo determina, ainda, que os movimentos sociais, organizadores dos eventos, se comprometem a não acampar no Parque da Harmonia, no Parque Marinha do Brasil e na parte em obras da orla do Guaíba.
Os movimentos sociais também devem tomar as medidas necessárias para evitar e coibir atos de vandalismo na área destinada ao acampamento, que vai ter abastecimento de água garantido.